segunda-feira, 26 de junho de 2017

Furacões, Fases e Normalidade

Quando estamos em meio aos "furacões" da vida, a sensação é a de que tudo se mistura, se confunde, nossa visão a respeito da realidade fica totalmente afetada. Era assim que eu me sentia.

Na verdade, eu nunca estive, literalmente, dentro de um furacão, mas acredito que definitivamente não seja exatamente como naquela cena em que a Dorothy viaja até o País de OZ, podendo enxergar tudo tão claramente, a ponto de identificar outras pessoas que estavam na mesma merda situação que ela.


Apesar dos furacões, porém, há um momento em que tudo volta ao devido lugar, a um pleno estado de normalidade. Porém, a normalidade, nem sempre é bem-vinda, por uma tendência natural de se desvalorizar o que é comum.

Contextualizando algo que li em um dos livros perfeitos do querido Fabrício Carpinejar (Sim! Estou apaixonado por ele!), aprendi que os dias normais são necessários, para podermos dar mais valor aos dias felizes, especiais. Afinal, o que seria dos fins de semana, se todos os nossos dias fossem livres? Não valorizaríamos tantos os dias em que podemos acordar mais tarde, ou ficar de pijama em frente à televisão durante toda uma tarde. O fim de semana seria só mais um dia da semana.

Por favor, não ouse pensar que seria perfeito se todos os dias fossem assim, pois há milhares de pessoas desesperadas por poder acordar cedo e bater cartão em uma empresa, para se sentirem novamente integrantes ativas da sociedade, e não podem, devido ao desemprego. E por muitas vezes reclamamos "de barriga cheia" do que temos, ingratamente.



Estou plenamente consciente de que essa posição de normalidade não é definitiva, pois os furacões vão e vêm. Eles não são algo do qual a gente possa dizer que se livrou definitivamente. Mas, o importante mesmo é saber reconhecer que os momentos (tanto os altos, como os baixos, e os comuns) são fases.

Pode parecer um pouco triste imaginar que um momento especial que estejamos vivendo, seja temporário e acabará dando lugar à normalidade, ou a um momento ruim (é... isso faz parte da vida); mas viver consciente de que a vida é feita de fases, torna-se uma estratégia para dias maus, pois se temos essa verdade em mente, saberemos que os "baixos" são tão temporários quanto os altos, e irão passar, igualmente, dando lugar a novos e bons dias.


O que eu ainda estou aprendendo é a olhar a vida com esses olhos. Um olhar que tenta me fazer enxergar que não somos só mais um número em meio a milhões de pessoas, mas somos especiais, sim! Dentro da individualidade de quem nós somos, da diferença que fazemos na vida das pessoas, mesmo sem perceber, não pelo que temos, mas pela nossa essência.

Eu não quero que o furacão volte, deixando tudo devastado novamente. Mas, se ele voltar (porque eu acho que vai), eu só quero me lembrar de uma coisa: ele sempre vai passar.

SEMPRE!