sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Renascer das Cinzas




Nunca imaginei dizer que a vida que vivo hoje foi a que eu escolhi, mas as adversidades do mês passado me levaram a refletir tanto (mas, tanto) na vida, que concluí: foram minhas próprias escolhas que me trouxeram até aqui. Cada caminho (escolhido por mim) me levou a ser quem hoje sou. E, mesmo que eu (ainda) não seja quem sempre quis ser, sou a melhor versão de mim, sou o melhor que posso ser.

Apesar dessa certeza, de vez em quando a vida me leva a questionar se o que estou fazendo de meu tempo aqui vale realmente a pena. Se vivo ou simplesmente existo.

Infelizmente não é fácil me deparar com a falta de um ombro amigo, a necessidade de ter alguém por perto (mesmo que em silêncio, mas por perto), a insegurança por não ter uma mão para segurar (ou que segure a minha), o medo de estar sozinho, no escuro.

Desde cedo, aprendi que o que é bom dura pouco e ninguém precisou me ensinar que os momentos ruins (de crise existencial, morte, dor, vazio) sempre fazem o favor de durar nada menos que uma eternidade.

Mas o fato é que não posso medir a vida por esses momentos. Não posso pensar que o Sol nunca mais vai voltar, ao me deparar com um dia nublado. Ou que a brisa revigorante da primavera foi nada mais que um sonho, só porque hoje tudo o que sinto é o frio cortante do inverno gelado.

Diante dos momentos difíceis da vida, onde parece que irei morrer, preciso ver adiante, com esperança refletida no olhar. O que preciso, todos os dias, é renascer. Dar a mim mesmo uma nova chance de ser feliz, de ser quem sou. Renascer sempre! Nem que seja à partir de minhas próprias cinzas, todas as vezes que sentir o vazio e a escuridão da dúvida se apoderarem de mim, querendo me matar de dentro pra fora. Mesmo que para isso seja necessário gastar minhas últimas forças, não posso me render! Morrerei lutando, porém, tendo a plena certeza de que reencontrarei a vida, enquanto dentro de mim renascer também a esperança.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Tudo tem seu lado ruim


Conforme os dias de Agosto vão se passando eu vou me inspirando para escrever os Posts diários do BEDA, eu comecei a perceber que ele tem dois lados: um bom e um ruim (não o Blog, o BEDA). Decidi que seria justo usar este Post como uma forma de "desabafo", pois os pontos negativos estão entalados aqui, mas não quero ser daqueles chatos que só veem o copo meio vazio, então, decidi falar sobre os pontos positivos também (porque eles existem), e não, não vou desistir do BEDA pois estou adorando minha própria experiência com ele.

O LADO BOM DO BEDA

Entre as coisas boas que estão acontecendo no BEDA está o fato de que eu tenho me auto desafiado todos os dias e percebi que sou capaz de me organizar para escrever um texto por dia, se eu tiver força de vontade. Tem sido um desafio mesmo! Mas, cara, a gente já está no sexto dia e eu tô conseguindo!

O LADO RUIM DO BEDA

Fico triste quando vejo que tem amigos que começaram com a corda toda, mas que não conseguiram cumprir um dia e acabaram "jogando a toalha", especialmente quando eu havia me programado para acompanhar as postagens deles.

O LADO BOM DO BEDA

Meu Blog favorito (de todos os tempos) não é nenhum daqueles cheios de recomendações que imitam aquelas revistas teen, dando dicas e tal. Eu gosto de Blogs que falem de pessoas reais, em vidas reais, que contem histórias do cotidiano e falem sobre gostos pessoais de forma pessoal. Eu sei que ainda não chegou o dia de fazer indicação, mas eu preciso dizer que o melhor lado do BEDA é que meu Blog favorito está sendo atualizado pela dona (peladona??) todos os dias. Pra quem quer saber qual é, eu digo, pois vale a pena conhecer o "Minha vida como ela é", ou o "Blog da Analu", como eu costumo chamar. A Analu (ou Ana Luisa Bussular) é uma pessoa muito querida e eu adoro ler tudo o que ela escreve. Sou um fã, de verdade.

O LADO RUIM DO BEDA

Tem uma galera aí que enche tanto linguiça que começa a publicar uns Posts sem conteúdo, sabe? Só pra dizer que postaram naquele dia e conseguiram cumprir o desafio do BEDA. Aff! 

O LADO BOM DO BEDA

Outra coisa boa que o BEDA tem me trazido foi escrever para mim mesmo. O fato de saber que não haveria comentários muito consistentes por parte dos visitantes fez com que eu escrevesse pelo prazer da escrita e não para ganhar comentários ou visitas.

O LADO RUIM DO BEDA

Como eu entrei no BEDA através de um Grupo do Facebook do qual faço parte (o ROTAROOTS), temos uma planilha online, onde relatamos os links para o Post do dia. Isso faz com que nosso Blog fique acessível a todo tipo de pessoa, mas não é esse o lado ruim. O lado ruim é que essas pessoas (obviamente) também estão participando do BEDA e (diferente de mim) ávidas por visitantes/comentários em seus Blogs, daí, comentam qualquer coisa nas minhas postagens. Sabe aquela galera que faz uma meia "leitura dinâmica", ou vê as imagens do Post e comentam um "Oi"? 

Eu não vou ser falso, eu retribuo as visitas aos Blogs que comentam aqui, mas só comento os que me interessam, exatamente pra não ter que ficar "enchendo linguiça". Quem lê meus comentários vê que eu só comento quando realmente tenho algo a acrescentar. Prefiro ter um Post com ZERO comentários do que um cheio de comentários inúteis (#ProntoFalei!). Poxa, a gente tem uma trabalheira danada pra dar nosso melhor aqui nas postagens e vêm comentar qualquer coisa?! Dá um tempo! Por favor, não se dê ao trabalho de comentar. (Beijos).


O LADO BOM DO BEDA

Conheci poucos Blogs novos, mas os que conheci e gostei, com certeza serão eternizados no meu Blogroll! Sabe aqueles que você visita e todo dia tem coisa boa? (Tipo o da Analu). No fim de semana eu indico o que mais gostei.

O LADO RUIM DO BEDA

Eu deixei minha vida profissional bastante de lado (que minha chefe não leia este Post) pra ficar escrevendo, lendo blogs alheios, pesquisando, comentando, enfim... E, como todos os Blogs da planilha estavam postando todos os dias, uma vez que a proposta do projeto é exatamente essa, eu não pude acompanhar todos como gostaria. Infelizmente.

O LADO BOM DO BEDA

Por fim, o lado bom do BEDA é que eu tô adorando! Tô até conseguindo conciliar com o trabalho já.

Até amanhã!


sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Natal em Agosto?

Eu sei que ainda estamos em Agosto, mas eu estou no maior climão de Natal. Parece loucura, né? Eu também acho. Mas, não está sendo de propósito.

Tudo começou na casa da minha irmã, em Santa Catarina, quando fui visitar o Noah.

Minha sobrinha Caren, de 16 anos, nunca tinha ouvido falar do Dubsmach (Meu Deus! Em que mundo ela vive?!) e, depois que baixou os app no celular, a gente fez uma dublagem desta cena. Pra piorar, à noite a gente decidiu assistir "Meninas malvadas" pela milésima vez.

"Mas o quê 'Meninas malvadas' tem a ver com Natal?", você pode ter perguntado. Por nada além de uma apresentação tosca de "Jingle bell rock" que as meninas fazem vestidas de mamãe Noel (kkk... Nada a ver!)


O caso é que depois do filme eu comecei a sentir muita (mas, muita) vontade de ouvir música de Natal, com sinos, pandeirolas (ou seja lá o nome que aquele instrumento tem) e vozes em coro. Apesar de ouvir todos os demais álbuns da carreira da Mariah, eu nunca havia escutado nenhum de seus CDs de Natal, a não ser uma vez ou outra a famosíssima "All I want for Christmas is you"

Entrei no Spotify e dei de cara com o segundo álbum de Natal da carreira dela "Marry Christmas II you" e não consegui passar da primeira música ("Oh Santa!"). Achei tão ótima que coloquei pra repetir, repetir e repetir...  Logo baixei a "All I want..." e, apesar de não ser Natal, foi assim que entrei no clima natalino.



Em Abril do ano passado eu entrei numa livraria e comprei quase todos os livros que eu queria. Fiz uma fila de qual seria a ordem de leitura e a cumpri quase fielmente, exceto por um. "Deixe a neve cair", era um livro que eu queria ler em época de Natal. Coisa da minha cabeça, mas eu queria estar no clima pra desfrutar o melhor daquela leitura. Contudo, o Natal chegou e quem disse que eu estava a fim de ler esse livro? Entrei em uma ressaca literária profunda e ele ficou completamente encostado no meu armário.


Só que essa semana eu perdi (dentro de casa, acreditem!) o livro que estou lendo - "O menino do pijama listrado") - mas, como a ressaca literária passou e eu estava com muita vontade de ler um livro, tive que partir para outra leitura. Aproveitando o espírito natalino, não pensei duas vezes e resolvi lê-lo. Até que eu tô gostando...


Ontem, acessei este Blog, que trazia um Post (super fora de época, como este aqui) que falava sobre tipos de presente que não se deve dar em "Amigo oculto". Na lista estavam os seguintes itens:

  • Sabonete;
  • Perfume;
  • Chocolate;

Realmente, cara! Sabonete é um presente tão perecível e baratinho pra se dar de "amigo oculto"... Perfume é algo tão pessoal pra se dar de presente (a não ser que você conheça o gosto da pessoa) e chocolate a gente come e lá se foi o presente! Aliás, é Natal ou é Páscoa?

Eu não pude deixar de incluir naquela listinha os presentes que eu acho que ninguém deveria ganhar em "amigo oculto". São eles:
  • Potes de cozinha;
  • Roupa (igual ao perfume, acho que gosto é muito pessoal - já ganhei várias roupas que nunca usei);
  • Chinelo (uma vez eu ganhei um chinelo tão estranho - pareciam duas pranchas de surf - e ainda tive que usar pra agradar quem me deu);
  • Meias (é frustrante. Já ganhei de aniversário).

Pra completar a doideira natalina, ontem, voltando do trabalho eu vi pendurado na frente de um caminhão, um Papai Noel de pelúcia. Lembrei do dia em que eu estava tranquilamente fazendo as compras de Natal com meu pai e fui surpreendido quando olhei para a rua e vi uma pequena frota de caminhões de Natal da Coca-cola e fiquei rindo igual criança. Desde pequeno eu assisto, na televisão, os comerciais onde o Papai Noel desenhado atrás do caminhão pisca pro garoto. Fiquei emocionado, na hora.

Por fim, todo esse clima natalino que está me cercando, me levou a refletir sobre uma coisa: "E se fosse Natal todo dia?". A princípio, eu pensei que logo perderia a graça, pois se desgastaria com o passar do tempo. Mas, por outro lado, parece que no Natal as pessoas tendem a dizer o que elas gostariam de dizer ao longo de todo o ano, elas tendem a estar ao lado das pessoas que mais amam, a se reunir em volta de uma mesa para sorrir e deixar de lado as diferenças. Depois de um suspiro bem fundo, pensei: "Quem dera, se todo dia fosse Natal!".

Feliz Natal!




sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Não era pra ser um desabafo - BEDA #1

Não tô legal.

Pensei que logo no primeiro dia de fazer as indicações da Semana 1 do BEDA, eu estaria transbordando amor e generosidade, mas o quadro que se apresenta na realidade é o de um Douglas com o sono totalmente atrasado que teve que trabalhar de manhã em uma reunião a qual ele teve que planejar (e trabalhar para que tudo desse certo, ao longo de toda uma semana), e depois da tal reunião, tive que ir direto pro finalzinho da aula na Pós.

Cheguei a tempo de fazer a avaliação final e mandei uma letra na professora, pois apesar de ter faltado à primeira aula (por estar em Santa Catarina) e ter chegado praticamente no final da aula de hoje (por estar trabalhando), na aula em que eu compareci eu dei o melhor de mim, como teria dado se estivesse presente em todas. É claro que eu aproveitei as explicações da professora para atualizar o Blog e visitar a todos os Blogs que eu gosto (Cara, fala sério! Aula de 8h da manhã às 17h!) mas, tirando isso, eu prestei atenção e atingi o objetivo da disciplina. Quando ela perguntou quanto eu deveria tirar, eu respondi na lata: Dez! E não estou com nenhum peso na consciência... E o fato de eu estar escrevendo isso aqui não significa nada. Nada mesmo. rs!

Amanhã tem mais um monte de coisa pra fazer, ou seja: não haverá final de semana. O que me consola é saber que no dia 25 de Agosto tem feriado municipal aqui onde eu moro e eu poderei descansar, finalmente. Acho que foi por isso que hoje foi a primeira vez, desde que aceitei o desafio, que eu pensei em desistir do BEDA (Confesso). 

Mas, o Post de hoje não é pra ser um desabafo, e não será!

Eu fiquei feliz pra caramba hoje. Enquanto fazia a tal avaliação proposta pela professora, aproveitei o sinal aberto da universidade pra ver meus e-mails e, como eu recebo os comentários do Blog por e-mail, eu vi que havia mais um comentário e fui retribuir a visita para ver se o Blog de quem comentou me seria interessante. Quando acessei, tive uma surpresa, porque O MEU BLOG estava nas indicações na Postagem de hoje daquele Blog! Cara, fiquei sem palavras. Daí, tive que cumprir com a promessa de indicar os posts que mais gostei de ler ao longo dessa primeira semana de BEDA.

Não tive muito tempo, cabeça, saco pra visitar a quantidade de Blogs que gostaria. Na maioria das vezes estava muito ocupado com o trabalho ou com minhas próprias postagens aqui, mas dos poucos que acessei, aqui estão os que mais gostei:

Presentes que não devemos dar no amigo secreto/oculto (Jeff Borges) - Cheguei a mencionar este Post na minha postagem "Natal em agosto?". Estava morrendo de sono quando acessei esse Blog e pensei "Vou ler o primeiro parágrafo...", mas quando menos esperei já estava comentando após a leitura de todo o texto. É um texto divertido. Por isso, recomendo.

Resenha: 'Anexos', de Rainbow Rowell (Douglas Vasquez) - Outro que eu não canso de visitar e comentar é o "Aquele clichê", que traz indicações de música, livros e aborda assuntos interessantes de forma muito pessoal. Tem a cara do dono! E eu adoro Blogs assim. O Doug é um cara que eu até adicionei no fb e já até tentou me ajudar a solucionar um pequeno problema que estou tendo pra postar Playlist aqui no Blog. Recomendo mesmo!

8 tweets que comprovam que eu assisto a filmes demais (Eliana Lee) - Este Post é divertidíssimo! Eu fiquei sorridente diante do computador, imaginando as situações. Dá uma conferida que você também vai gostar. A Eliana é uma pessoa ótima, também. Por causa da correria estou em dívida com ela, pois gostaria de ler todos os seus Posts, mas por ela estar no BEDA, postando todos os dias, há muitos textos acumulados, mas eu não desistirei. Apesar da minha infidelidade, ela permanece vindo aqui me visitar e deixar seus coments. Depois de ler este Post, eu fiz questão de começar a segui-la no twitter.

Você fica defendendo os gays (Felipe Fagundes) - Ele não está participando do BEDA, mas deixou um comentário aqui e, quando retribuí a visita, eu adorei seu jeito de escrever. Sabe aquele texto natural, que prende a nossa atenção como se estivéssemos ouvindo a pessoa que o escreveu conversando com a gente? Ele é muito claro em seus argumentos e na narração de suas histórias. Esse texto, especialmente, me chamou atenção. Achei interessante a percepção dele.

Sobre batalhas e invenções 06/31 (Ana Luísa Bussular) - Pra fechar com chave de ouro, indico este Post da Analu, do "Minha vida como ela é". Esse texto era pra ser meio que uma resenha de um livro que ela leu, mas ela conseguiu me emocionar quando expressou o que a história desse tal livro causou nela como pessoa. Já copiei e colei o link pra vários amigos que também se emocionaram.

Por hoje é só. Feliz por ter cumprido o desafio de hoje e torcendo para estar um pouco mais animado amanhã.

Abraços.