sexta-feira, 22 de julho de 2016

Esse sou eu

Sempre fui muito imaturo. Nunca me importei em procurar um amigo quando precisei. Ligar, para chorar ao telefone. Nem me importei por me intrometer em conversas sem ser convidado. Ou falar sobre algum assunto, sem pensar, e acabar revelando inocentemente algo que era para ser segredo. Mas sempre fui alguém capaz de valorizar outras pessoas.

Alguns me chamavam de inocente (e isso, não era no bom sentido). Eu era daquelas crianças que aceitava as desculpas de quem vacilava só para que a brincadeira continuasse. Nunca me permitia guardar mágoas, pois preferia surpreender com demonstrações que revelassem que eu podia ser melhor do que esperassem que eu fosse. Sempre tentando agradar a todos, na tentativa de ser aceito. De ser amado.

O tempo passou... A vida exigiu que a infância passasse, que a imaturidade fosse embora junto com a inocência, que eu crescesse e me tornasse alguém. Mas eu não consegui obedecer à vida. E até hoje, todos os dias, ela tem exigido isso de mim. Eu ainda olho para mim mesmo e continuo a ver aquele menino de sempre, porém, sem aquela espécie de "corretor ortográfico", que não permitia que ele fosse quem realmente é, só pra ser aceito.

Aprendi que jamais vou conseguir agradar às exigências da sociedade. E que não preciso ser como esperam que eu seja para ser quem eu sou. O fato é que muita gente pensa que me conhece, mas na verdade, só sabe o que eu faço, mas não sabe nem parte de quem eu sou. Não que me esconda, mas pelo simples fato de ser uma torre muito alta, cercada por um muro. Quando as pessoas olham para a torre, imaginam o que estará no topo dela, mas ninguém tem coragem de transpor o muro que a cerca, muito menos de escalá-la até o topo.

Mas não sou uma torre feita de pedra. Sou feito de gente. Flexível. Capaz de me curvar até o solo para permitir que alguém entre em minha vida. Porém, o fato é que há muito tempo não encontro alguém peça para que eu me incline, que queira alcançar os lugares mais altos para saber o que estou sentindo. Alguém que queira me ouvir falar, sem estar me analisando para depois me criticar.

Sim. Me sinto só.
Mas prefiro estar só e ser eu mesmo do que estar cercado por muitas pessoas sendo aquele que elas querem que eu seja.

Os amigos? Estão por aí. Os verdadeiros sempre voltam. Estou certo de que os (re)encontrarei em algumas das curvas dos caminhos tortuosos que a vida nos obriga a seguir.

Essa é a vida.
Esse sou eu.

3 comentários:

  1. Outro texto seu que eu me identifiquei muito e que fala muito de mim. Cansei um pouco de atender as expectativas e de me moldar aos padrões de fora, pra ser aceito. Temos que ser aceitos pelo que somos e são poucas (pouquíssimas pessoas) que nos aceitam verdadeiramente, como somos. Então é bem complicado viver num mundo onde estabelecem uma regra e acham que ela é a mais correta.

    Ledo engano.

    Parabéns pelo ótimo texto, sabe que sou seu fã (assim como você diz ser o meu, mó orgulho hahaha). E saiba que tem um amigão aqui, pra tudo! ;)

    ResponderExcluir
  2. Olha, me desculpe pelas vezes que eu não passei por aqui. Estou arrependido depois de ter lido esse texto. Seu talento para a escrita é de um tamanho, que você não imagina! Que facilidade com as palavras, que jogo de descrição! Me identifiquei com esse texto até nos mínimos detalhes, eu definitivamente sei bem pelo que você passou. Sou seu fã, e posso deixar afirmado: você vai longe, basta querer!

    www.luccasuriel.com

    ResponderExcluir
  3. Seu texto me agradou muito, identifiquei-me intensamente, acredito que há muitas pessoas que se sintam e pensam de modo similar a você, pessoas deslocadas que nadam contra a corrente, mas a maioria delas permanece inerte e esparsa, esperando o inesperado, na expectativa de serem correspondidas de alguma forma, mesmo procurando em lugares errados.

    Douglas, eu sei que é apenas o meu primeiro comentário e não quero aparentar atrevimento, porém, como uma mera sugestão, acho que seria interessante você inserir o histórico dos seus posts no seu blog para facilitar a visualização de todos eles. Apenas é uma sugestão, desculpe se pareci abusivo.

    http://leigopoeta.blogspot.com.br/

    Esse é meu singelo blog, adoraria uma visita e sinta-se a vontade para sugerir ou criticar algo.

    Abraço

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!
Não esqueça de deixar o link do seu Blog para que eu possa retribuir a visita, ok?!