terça-feira, 11 de julho de 2017

A crise da ROCCO imaginária...

Estou em frangalhos!

Acabo de sofrer uma das maiores desilusões da minha vida.

Desde a adolescência, comecei a ler os livros do Harry Potter (quando o último lançamento literário ainda era “O Cálice de Fogo”, que eu pegava emprestado da Daniele, minha amiga de escola que tinha os pais ricos e compravam tudo o que ela pedia, desde fitas de vídeo com os desenhos de Walt Disney, até a coleção de livros de Harry Potter, dos quais eu morria de inveja branca).

Fato é que em todas as vezes que eu lia um dos livros de Harry Potter (escondido da minha mãe), eu agradecia mentalmente aos grandes responsáveis por trazer o mundo mágico de Hogwarts para as mãos dos brasileirinhos, como eu. Como eu admirava a editora ROCCO! (O que dizer dessa editora a quem eu mal conheço, mas já considero pakas?!).


Enquanto a admirava em silêncio, eu fazia planos de, algum dia, conhecer a editora. Confesso que já pensei, inclusive, em trabalhar lá, chegando quase enviar meu curriculum, apesar da não ter nenhuma qualificação formal necessária para qualquer cargo em uma editora.

Voltando ao assunto...

Eu passei esse amor de Harry Potter para minha sobrinha, quando ela começou a desenvolver a curiosidade pela leitura, chegando a defender a todo custo a ROCCO, quando minha sobrinha disse que a Editora da qual ela mais gostava era a Intrínseca. (“Traidora!”, pensei.).

Minha sobrinha fez 18 anos, se mudou para o Sul, mas veio passar as Férias comigo. Planejamos elaborar um roteiro de férias pelo Rio, visitando lugares onde gostaríamos de ir, e como amamos livros, por que não visitar uma editora?!


Entrei no Site da Editora Rocco e enviei o seguinte e-mail:
Em questão de minutos, recebi a resposta:


"E os milhares de lugares muito mais divertidos que o nosso escritório"... Mais alguém focou nessa frase e chorou? Ou só eu?!

Meu mundo caiu... (imaginem Wanessa "põe" Camargo, "tira Camargo" cantando). Imaginava um mundo mágico dos livros, cheio de histórias, imaginação, pessoas criativas, felizes e sorridentes por poderem ler e trabalhar em prol da literatura, especialmente no que diz respeito à produção das traduções de Harry Potter... E só hoje, aos 26 anos de idade é que me dei conta que a Editora é só mais um escritório cheio de gente lidando com trabalho burocrático o dia inteiro, doido pra dar o horário de sair e ir para o barzinho tomar uma cerveja.

#LutoEditoraRocco

_________________________

EDIT1: (Espero que, apesar de toda a verdade contida neste texto, as pessoas consigam identificar a ironia em cada exagero)

7 comentários:

  1. Ahasiudhauidha, achei muito engraçada essa história! Realmente, a gente tende a idealizar os lugares/estabelecimentos que nos trazem coisas boas. Meu lugar preferido de Porto Alegre é a Livraria Cultura e eu cheguei a mandar currículo quando estava esperando a faculdade começar. Ainda acho que a Cultura é uma boa, mas minha amiga trabalhou numa livraria e disse que não era essa coisa fantástica que eu imaginava não heiheuihaui. Bom, quem sabe um dia (quando já tiverem passeado por todos os pontos turísticos do Rio) vocês não realizam esse sonho hein?

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Caracaa que situação em? Temos essa mania de imaginar os lugares que nem mesmos conhecemos como fantásticos e na maioria das vezes nem são tudo isso :( Mas espero que algum dia você e sua sobrinha conheçam a editora.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Nossa, cara, acabei de parar para pensar que eu também nunca imaginei que as editoras na verdade fossem apenas um escritório como qualquer outro. Que merda, mano, hahaha. É por isso que ser um adulto é uma merda, a magia de tudo se desfaz e a única coisa que sobra são coisas banais. Acho que é melhor ficar com aquela imagem de felicidade e milhares de livros na cabeça, sabe? Apenas para sonhar mesmo.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu fiquei pensando desde o começo o porque da sua vontade de visitar uma editora, porque eu já imaginava que era só mais um escritório cheio de gente doida pra sair dali! KKKK :/ Mas eu acho que a magia está nos olhos de quem vê, então talvez trabalhar lá (já que é algo que você se interessa) talvez traga muitas coisas boas e você estaria fazendo parte do processo pra que a magia dos livros chegue a todos (nossa, filosofei agora kkkk).

    http://www.sextadimensao.com/

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente esta é a realidade do mundo, lugares onde se criam fantasias não são lugares mágicos e sim escritórios e oficinas normais. Quando li o titulo achei que era um crise de verdade, que a Rocco estava falindo, tipo a LeYa que agora está vendendo livro de Youtuber pra sobreviver XD

    Bites!
    Tary Belmont

    ResponderExcluir
  6. Hahahahahaha ri muito lendo seu relato. Realmente, editoras não devem ser lugares muito divertidos para se visitar, mas a gente imagina algo todo diferente na nossa cabeça, né?
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  7. Oii, tudo bem?? Deve ter sido um pouco decepcionante, mas desculpa, achei a resposta deles divertida (rsrs). Te entendo quanto a fantasiar um lugar, eu mesmo fantasio a PIXAR, tanto que quero trabalhar lá um dia.

    Tchauzinho e até logo
    http://www.meioassimetrica.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar!
Não esqueça de deixar o link do seu Blog para que eu possa retribuir a visita, ok?!